O gerenciamento de APIs é um processo crítico para quem trabalha com criação e integração de sistemas. Essa atividade permite que a empresa mantenha interfaces funcionais, confiáveis e capazes de atingir os resultados esperados pelos usuários.

Justamente por isso, o negócio precisa direcionar um bom número de recursos para garantir que o gerenciamento de APIs ocorra da forma correta. Isso evitará riscos de segurança e, ao mesmo tempo, manterá uma boa experiência de uso.

Quer saber mais sobre o tema e como a gestão de APIs pode ser feita pela sua empresa? Então, leia este post!

Por que realizar a gestão de APIs?

As APIs estão se tornando cada dia mais comuns no ambiente de TI. Elas auxiliam as aplicações de diferentes tipos a trocarem dados, modificarem informações e coletarem registros de um modo organizado e bem estruturado.

Para que isso ocorra, é fundamental que a empresa tenha um processo de gerenciamento bem definido. Ele deve ser orientado a partir de três bases, que auxiliam o gestor a aproveitar ao máximo as interfaces disponíveis durante a criação, a integração e as modificações de sistemas. São elas:

  • a disponibilidade das APIs;
  • a segurança das APIs;
  • a escalabilidade das APIs.

Juntos, esses três pontos auxiliam a empresa a ter APIs de maior qualidade. Elas serão aproveitadas por todos os times de modo contínuo, reduzindo gargalos e tornando as ferramentas criadas pela empresa mais inovadoras e inteligentes.

Quais os benefícios de ter uma política de gerenciamento de APIs?

Um bom gerenciamento de APIs afeta toda a rotina do negócio. Esse processo traz benefícios comerciais e operacionais para a companhia. Confira os principais a seguir!

Maior controle sobre mudanças na interface

Quando o negócio tem uma política de gerenciamento de APIs bem definida, a gestão das modificações de suas interfaces se torna mais precisa. A empresa conseguirá avaliar quais mudanças estão planejadas, quando elas serão implementadas e qual o processo de correção.

Isso dá maior controle sobre o versionamento da API e evita o trabalho em códigos antigos. Além disso, os usuários poderão se adaptar com mais agilidade aos novos recursos, uma vez que as mudanças estarão documentadas.

Possibilidade de otimizar a produtividade dos times

O gerenciamento da API auxilia a empresa a ter um time mais produtivo. Com os processos de uso e as mudanças na interface documentados de modo mais abrangente, os usuários conseguirão integrar a API ao seu dia a dia com mais agilidade. Isso também evitará erros, o que melhora as taxas de retrabalho como um todo.

Redução de riscos de segurança

Riscos de segurança são graves, especialmente se falamos de APIs. Com o gerenciamento das interfaces, a companhia consegue rastrear brechas com mais agilidade. Assim, vulnerabilidades serão corrigidas rapidamente, evitando a exposição de informações sigilosas.

Mais escalabilidade para a plataforma

Se há maior controle sobre as APIs, também há o aumento da escalabilidade das interfaces. Isso ocorre porque a empresa conseguirá aumentar a performance de cada API ao otimizar a sua estrutura e o uso dos recursos.

Dessa forma, sempre que existir maior demanda pela infraestrutura, o gestor poderá entregar mais desempenho para os usuários com baixo investimento.

Como realizar um bom gerenciamento de APIs?

O gerenciamento de APIs deve ser feito a partir de várias rotinas. Elas auxiliam o gestor a entregar uma interface ao usuário com mais performance, confiabilidade e segurança. Confira os principais pontos a seguir!

Padronize rotinas

A padronização de rotinas é algo crítico para a gestão de APIs. Essa atividade permite que todos os usuários façam uso unificado da API, evitando falhas e situações de risco.

Voltada para a manutenção da API, ter rotinas padronizadas permite que a empresa elimine erros e melhore o fluxo de seus times internos. A equipe conseguirá manter um nível de qualidade contínuo para os seus processos e, com isso, diminuir problemas de performance e falhas no código-fonte da interface.

Busque compatibilidade com vários sistemas

Para garantir que a API seja utilizada pelo maior número de pessoas, a empresa deve focar os meios de ampliar a compatibilidade das APIs com várias plataformas. Portanto, sempre estruture meios para tornar as interfaces mais versáteis e capazes de conversar com diferentes softwares, SOs e hardwares.

Monitore o uso das interfaces

O monitoramento é um processo contínuo quando falamos de gerenciamento de APIs. Ele permite que o gestor conheça como as interfaces são utilizadas, encontre rapidamente problemas de segurança e elimine gargalos antes que eles impactem negativamente na experiência do usuário.

Portanto, sempre adote soluções para visualizar o modo como a API é utilizada em tempo real.

Tenha mecanismos de segurança de dados

Os controles de segurança de dados devem ser implementados para evitar que ocorram vazamentos e problemas de integridade. Cada medida deverá ser abrangente e alinhada com o perfil de uso da API. Assim, a companhia pode tornar sua interface mais robusta e confiável.

Documente processos

Todas as rotinas de uso e gerenciamento de APIs devem ser documentadas. Isso impactará diretamente em todos os processos de utilização, integração e manutenção da API.

Se há uma documentação completa da API, técnicos e usuários podem executar sempre o uso inteligente da interface. Cada rotina será aplicada conforme as demandas do mercado, evitando falhas e maximizando a performance da interface.

Conte com um especialista

Se a sua empresa enfrenta desafios para gerenciar as suas APIs, uma boa escolha é investir no apoio de uma empresa parceira. Ela direcionará um time de especialistas para o seu negócio que estará dedicado a estruturar uma política de gerenciamento alinhada com as demandas do mercado. Dessa forma, a companhia manterá o foco nas rotinas críticas sem comprometer a usabilidade de suas APIs.

As APIs têm um papel-chave na criação e no uso de sistemas. Com elas, a companhia pode tornar o seu ambiente de trabalho mais integrado e alinhado com as demandas do mercado. Ao mesmo tempo, a compatibilidade de aplicações é ampliada, reduzindo custos com TI e o número de erros operacionais.

Nesse cenário, a empresa deve estruturar uma política de gerenciamento de APIs robusta e abrangente. Ela precisa ser capaz de garantir que as interfaces tenham alta disponibilidade, bons mecanismos de controle e baixo risco de apresentarem gargalos durante o uso. Dessa maneira, será mais fácil atingir os resultados esperados a médio e longo prazo com essa ferramenta de TI.

Gostou da nossa dica? Então, faça agora um teste do Cronapp e conheça uma ferramenta para criar aplicativos e softwares com qualidade e APIs eficientes para o seu negócio!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *