metodologias ágeisPowered by Rock Convert

Saber como programar mais rápido faz com que você obtenha ganhos consideráveis. Um deles é a maior agilidade e eficiência em resolver problemas do cotidiano, uma exigência cada vez maior das empresas, que costumam trabalhar com prazos apertados. Para alcançar esse objetivo, é fundamental seguir algumas boas práticas que ajudarão a ser mais produtivo no trabalho de desenvolver softwares.

Um programador deve também estar atento às novas tendências e saber como aplicá-las aos seus projetos, o que nos dias de hoje é algo bastante desafiador. Por isso, continue conosco e veja as 10 dicas que ajudarão a programar mais rápido, de modo a agregar um valor cada vez maior aos seus projetos. Interessado em saber quais são essas dicas? Continue lendo!

1. Praticar pelo menos 25 minutos todos os dias

A constância em qualquer atividade é algo fundamental na construção do hábito e na consolidação do aprendizado. Em outras palavras, não adianta programar oito horas seguidas apenas uma vez na semana, pois, assim, você não obterá um aprendizado satisfatório. Procure aquele horário do dia em que você se considera mais focado e produtivo e se esforce ao máximo para não deixar de programar um único dia sequer.

2. Estudar com conteúdo estruturado

Apesar de ter muito conteúdo sobre programação na internet, você não vai, de fato, aprender, se não tiver organização. Isso significa que é preciso estar atento à própria curva de aprendizado, buscando não pular etapas, estudando teoria e praticando até assimilar por completo aquele fundamento. Dessa forma, tudo que você aprender não será facilmente esquecido.

3. Não ter medo de errar

Programar é estar sujeito a cometer erros. Tais erros são fundamentais, pois ajudam a mostrar as deficiências e servem para que no futuro você se torne um excelente programador. Isso está diretamente relacionado com a dica número 1, de práticas todos os dias por pelo menos vinte e cinco minutos, onde você pode se aperfeiçoar aos poucos, eliminando vícios e aprendendo boas práticas como a refatoração e a documentação de código.

4. Não se limitar ao que é ensinado em cursos e livros

Um bom programador é aquele que vai além do que é ensinado em cursos e livros. A curiosidade, portanto, é um ponto essencial, pois fará com que você procure outras referências, bem como queira ir além dos exemplos apresentados. Tais conteúdos são de fundamental importância, mas você deve criar e trilhar o seu próprio caminho para se tornar um programador melhor e mais produtivo.

5. Conversar com outros programadores

Existem algumas noções e particularidades que os livros e cursos não ensinam. Logo, conhecer um ou mais programadores com mais experiência vai ajudar bastante a desenvolver suas habilidades de programador. Além disso, você consegue desenvolver o seu networking, o que pode aumentar as oportunidades de emprego no futuro, por meio de uma indicação.

Powered by Rock Convert

6. Evitar procrastinar

A procrastinação não é só a maior inimiga do programador, mas de qualquer outro profissional. Quando deixamos de realizar nossas atividades cotidianas, querendo ou não, terminamos o dia com a consciência pesada e um certo arrependimento por não ter feito o que era para fazer. Portanto, identifique tudo aquilo que atrapalha o bom andamento das suas atividades e evite-as ao máximo. Não será fácil de início, mas a constância fará com que grande parte ou toda a procrastinação seja eliminada do seu cotidiano.

7. Fazer uma coisa de cada vez

Você sabia que o nosso cérebro consegue trabalhar melhor quando faz uma coisa por vez? Se você deixa, por exemplo, uma atividade incompleta e inicia outra, as chances de as duas não ficarem boas são grandes. Uma maneira simples que pode ajudar bastante nesse sentido é o quadro de Kanban, que mostra tudo aquilo que precisa ser feito, o que está em andamento e o que já foi concluído. Assim , você acompanha melhor os prazos e passa a fazer uma atividade de cada vez, considerando o grau de prioridade delas.

8. Escolher uma linguagem de programação adequada

Algumas linguagens de programação são mais apropriadas do que outras para aprender no início, sendo que Python e Javascript são consideradas de baixa curva de aprendizado. Ao escolher alguma dessas linguagens você desenvolve melhor a habilidade de codificar rápido, uma vez que a sintaxe e outras particularidades são mais facilmente absorvidos. Mesmo que o seu objetivo seja programar em C++, por exemplo, a recomendação é iniciar com uma outra linguagem.

9. Estudar em ciclos de tempo

Dentro de uma empresa é normal as pessoas trabalharem de forma contínua, com pausa apenas para o almoço. No entanto, muitas vezes o resultado final do trabalho não é da forma que se esperava, por conta de distrações e pelo fato de não se trabalhar em ciclos de tempo. Por isso que usar técnicas como a Pomodoro se tornam tão importantes no aprendizado de programação. A produtividade do estudo e do trabalho são maiores quando os momentos de foco total são intercalados por pequenas pausas, em que a pessoa pode tomar uma água ou até mesmo acessar rapidamente as redes sociais.

10. Ensinar os outros

Existe uma diferença quando aprendemos algo sozinhos e quando ensinamos alguém. O aprendizado tende a ser muito mais rápido no segundo caso, sendo que um bom exemplo de colocar isso em prática é por meio da técnica Feynman. O nome é uma homenagem a um físico teórico norte-americano Richard Feynman, que já dominava conhecimentos como trigonometria e álgebra ainda na adolescência. Para aplicar essa técnica no aprendizado de programa, existem cinco passos a serem seguidos:

  1. Escolher o conceito a ser aprendido — no caso, programação;
  2. Desenvolver o que se quer aprender em um papel, buscando ser o mais didático possível, supondo que aquilo será ensinado aos outros;
  3. Se o passo anterior não obteve êxito (e isso normalmente acontece no início), deve-se buscar novos conhecimentos ou consultar novamente as anotações feitas sobre programação e os materiais de referência;
  4. Documentar todos os novos conhecimentos obtidos, que pode ser feito, por exemplo, por meio de mapas mentais;
  5. Reescrever sobre o assunto, como se fosse explicá-lo a uma criança, com uma linguagem simples e procurando ler em voz alta.

Agora que você confere as 10 dicas de como programar mais rápido, queremos dizer que o Cronapp pode auxiliar bastante você a atingir esse objetivo. Temos uma plataforma de código baixo (ou Low-Code) que acelera bastante o desenvolvimento de aplicações. Dessa forma, mesmo que você ainda não tenha um conhecimento elevado em programação, é possível criar aplicações por meio do mecanismo de arrastar e soltar.

Gostou do artigo e quer conhecer mais sobre a plataforma Low-Code do Cronapp? Então não perca tempo, entre em contato conosco agora mesmo e fale com um de nossos especialistas!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *