Desenhado por uma das maiores empresas do mundo, inicialmente com a finalidade de interagir e responder a perguntas em um programa de televisão, em 2011, o IBM Watson foi uma das primeiras tecnologias a explorar as aplicações de computação cognitiva em questões cotidianas e no ambiente corporativo.

Para que você tenha uma ideia da sua incrível capacidade de “raciocínio”, o Watson analisou 200 milhões de páginas de diferentes livros em segundos e conseguiu responder às perguntas que lhe eram feitas, vencendo o desafio proposto.

Por isso, neste conteúdo mostraremos o que é o Watson e como a computação cognitiva pode trazer benefícios para os negócios. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

O que é Watson?

A plataforma Watson é a combinação entre a tecnologia de Inteligência Artificial e a linguagem humana para a análise de enormes quantidades de dados e a obtenção rápida de respostas.

Basicamente, o Watson é um conjunto de APIs, que são interfaces de programação de aplicações. Cada uma delas é responsável por uma especialidade diferente do sistema, com a possibilidade de que os usuários as utilizem para desenvolver seus próprios sistemas cognitivos.

Assim, além de ser um supercomputador inteligente, o IBM Watson também pode ser compreendido como uma série de tecnologias que são disponibilizadas para o desenvolvimento de outras aplicações. Suas APIs estão disponíveis no sistema IBM Cloud, em que é possível encontrar vários serviços para criar soluções digitais.

A ligação com a computação cognitiva

Na era da informação digitalizada, é comum que todos os dias quantidades exorbitantes de informações sejam geradas na nuvem, como posts, fotos, fórmulas, pesquisas, textos e muito mais. Na maioria dos casos, são dados desestruturados e, por isso, não visíveis para a tecnologia e os computadores.

E é neste ponto que o Watson da IBM entra. Por ser um sistema fundamentado em computação cognitiva, ele é capaz de interpretar esses dados, aprender com eles e criar linhas de raciocínio a partir deles. É por meio desse conceito que diversas indústrias estão se reinventando com o uso do Watson, tais como o varejo, os serviços bancários, a saúde e o setor de viagens, por exemplo.

O Watson é um projeto já antigo da IBM, mas que vem melhorando e aumentando o seu poderio a cada ano. Em 2011, por exemplo, ele foi capaz de vencer o concurso de perguntas e respostas Jeopardy, que faz muito sucesso nos Estados Unidos. Já hoje, ele é utilizado em processos ainda mais complexos, como no desenvolvimento de novos medicamentos.

Diferenças em relação a outros assistentes virtuais

Muita gente ainda confunde o IBM Watson com outras criações disruptivas do mundo da tecnologia, como a Alexa e a Siri. Embora todos os três possam atuar como assistentes virtuais, só a solução da IBM é treinada pelo próprio usuário.

Enquanto a Alexa e a Siri se baseiam em informações repassadas pelo público que busca respostas, o Watson é desenvolvido apenas por quem o utiliza. Isso garante mais liberdade para quem utiliza e personaliza o atendimento da ferramenta.

Quais demandas ele supre?

Entre os inúmeros tipos de aplicações em que o Watson tem sido usado, podemos citar alguns exemplos:

  • assistência pessoal via comandos de voz — o app se conecta à base de conhecimentos do Watson na cloud e, por meio de informações carregadas anteriormente no sistema, consegue realizar uma interação humanizada, descontraída e segmentada;
  • apoio na criação de medicamentos — o Watson ainda é utilizado ativamente na medicina, como na criação de novos medicamentos, em um trabalho conjunto com grandes cientistas da área;
  • inclusão na cultura — durante uma exibição da IBM na Pinacoteca, em São Paulo, o Watson permitia que os visitantes conversassem com as obras de arte, fazendo perguntas variadas a respeito de sua história;
  • reconhecimento de imagem;
  • geração de palavras-chave com base em imagens repassadas ao sistema;
  • criação de chatbots;
  • transformação de conteúdos em texto para voz.

Quais são os diferenciais do Watson?

A plataforma analisa grandes quantidades de dados, interpretando-os na linguagem natural em que foram produzidos pelas pessoas e, a partir delas, é capaz de adquirir novos conhecimentos.

Isso permite fazermos coisas jamais feitas antes, como reconhecer doenças em pacientes antes mesmo que eles apresentem sintomas, prever tendências de consumo antes que sejam lançadas no mercado ou até mesmo responder a perguntas antes que elas sejam feitas.

Outro diferencial do Watson é o fato de ele poder resolver problemas cognitivos. A cognição é a capacidade que a mente humana tem de adquirir novos conhecimentos com base nas informações que recebe a todo momento, e o computador da IBM é capaz de simular esse processo. Por isso, é correto afirmar que o Watson é uma Inteligência Artificial.

Como funciona a computação cognitiva?

Ela é baseada em sistemas de autoaprendizagem que se fundamentam em conceitos mecânicos para realizar tarefas específicas dos seres humanos de maneira muito mais rápida, inteligente e precisa. A computação cognitiva está normalmente relacionada à Robotic Process Automation (RPA), como a ligação entre as tecnologias de computação cognitiva e Inteligência Artificial.

O conceito surgiu pelo desejo de visionários de misturar a ciência da computação com a cognição. Assim, seria possível estimular o desenvolvimento de tecnologias que simulassem os processos humanos de raciocínio.

À medida que a Inteligência Artificial evolui, a computação cognitiva se estende e otimiza a vasta gama de funções que, em geral estão ligadas à RPA, gerando benefícios como a redução de custos e soluções mais versáteis para os clientes.

Essa tecnologia passou a potencializar o poder de tomada de decisões corporativas, o desempenho do processo de pensamento e a forma tradicional como as informações são analisadas. Sendo assim, a computação cognitiva representa uma ampla abordagem à implementação de softwares e soluções modernas que imitam o pensamento humano por meio de Inteligência Artificial.

Antes da ideia da computação cognitiva, as máquinas (como os computadores) precisavam de comando para operar. Com ela, os equipamentos ganham um algoritmo cognitivo de autoaprendizagem, processamento de linguagem natural, análise de dados e outras possibilidades.

O IBM Watson é baseado na computação cognitiva, uma vez que a plataforma também funciona baseada em um sistema de autoaprendizagem.

Quais são as aplicações práticas da computação cognitiva?

A computação cognitiva tem uma grande variedade de aplicações práticas que têm sido usadas por empresas de diversos segmentos. Entre as suas usabilidades no meio corporativo, podemos citar:

  • gestão de projetos — identificação de padrões em informações e cálculo de panoramas econômicos são apenas algumas das suas utilidades para o planejamento e o acompanhamento de projetos;
  • gestão de pessoas — a performance dos colaboradores pode ser avaliada de modo muito mais coerente e individual graças ao cruzamento de dados em quantidade e qualidade;
  • gestão de clientes — organizações que oferecem diferentes canais de relacionamento podem acessar informações em diversos formatos (voz, áudio e texto, por exemplo) e todas podem ser analisadas para personalizar a experiência de consumo e o atendimento. Empresas que atendem os clientes por meio de diversos canais de relacionamento poderão coletar os mais diferentes tipos de informações, por meio de áudios, textos e voz. Assim, será mais fácil personalizar a interação com seus consumidores;
  • análise de Big Data. Um sistema cognitivo consegue analisar tanto os dados estruturados como os não estruturados. Assim, é possível analisar uma grande massa de dados (o Big Data), facilitando a interpretação e a posterior transformação dos dados em conteúdo relevante;

Qual é a diferença entre computação cognitiva e Inteligência Artificial?

Enquanto a Inteligência Artificial tem sido desenvolvida com a finalidade de executar atividades burocráticas e de baixa complexidade decisória, permitindo que os recursos humanos foquem seus esforços nas ações mais importantes e estratégicas do negócio, a computação cognitiva está mais voltada ao desenvolvimento da interpretação de dados.

Isso significa que as inovações cognitivas podem ir muito além do volume de dados interligados, já que podem interpretar dados estruturados e não estruturados, como áudio, voz, texto e imagens, analisando-os, aprendendo e tomando decisões inteligentes.

Por que contar com uma empresa desenvolvedora de softwares moderna e alinhada às novidades do mercado?

O Cronapp é uma vertente da Techne, que atua no segmento de TI há mais de 30 anos desenvolvendo softwares de gestão para órgãos do governo e instituições de ensino e saúde pública.

A nossa principal solução, que leva o nome da empresa, oferece integração direta com o IBM Watson. Algumas das tecnologias e plugins são:

  • IBM Watson™ Natural Language Classifier, que utiliza algoritmos de aprendizado de máquina (machine learning) para retornar classes predefinidas de correspondência para entradas de texto curtas;
  • IBM Watson™ Assistant. Esse serviço também combina o aprendizado de máquina, além da compreensão de linguagem natural. Conta com um editor de diálogo integrado, que possibilita a criação de fluxos de conversa entre os apps e os respectivos usuários;
  • IBM Watson™ Discovery, um mecanismo dedicado à análise de conteúdo e pesquisa cognitiva, que pode ser incluído em aplicativos para mapear padrões, tendências e insights que tornem a tomada de decisão mais precisa;
  • IBM Watson™ Language, que proporciona a tradução de textos, páginas web e arquivos para dezenas de idiomas;
  • IBM Watson™ Text to Speech, que é capaz de converter o texto escrito em fala, com um som natural, e fornecer recursos adequados à síntese em aplicativos;
  • IBM Watson™ Visual Recognition. Como o próprio nome indica, este plugin utiliza algoritmos de aprendizagem profunda (deep learning) para analisar imagens diversas, como faces, objetos e outros conteúdos.

Essas são só algumas das tecnologias e plugins do IBM Watson que podem ser acionadas pelo Cronapp. Você pode conferir a lista completa aqui.

Quando você começa a usar o Cronapp, utilizará a solução digital de uma empresa totalmente comprometida com o desenvolvimento da sociedade e com a inovação. Essa é a melhor maneira de garantir que seu negócio esteja alinhado às tendências de mercado e consumo.

Assim, com uma plataforma híbrida que oferece suporte tanto para o low-code como para o high-code, será possível projetar seus próprios softwares sob medida, de acordo com as necessidades de sua empresa, além da possibilidade de contar com soluções na nuvem, capazes de automatizar atividades e processos relativos ao core business.

Como você pôde conferir neste conteúdo sobre o Watson, a computação cognitiva está cada vez mais presente no meio corporativo. Implementar uma solução baseada nesse tipo de tecnologia é garantir que seu negócio esteja alinhado às mais recentes e inovadoras tendências do mercado.

Quer entender melhor sobre como a Cronapp pode beneficiar a sua empresa? Então, entre em contato com a gente para conhecer as nossas soluções modernas para o seu negócio!

Categorias:

0 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.