Powered by Rock Convert

A transformação digital tornou a infraestrutura de TI uma das principais partes do dia a dia de qualquer negócio. Ter o apoio de uma robusta infraestrutura tecnológica garante aos gestores a capacidade de entregar bons resultados em qualquer cenário. Além disso, permite que a empresa seja mais inovadora e flexível.

Investir para otimizar a infraestrutura de TI, portanto, deve ser considerado uma prioridade em qualquer empresa. Afinal, um aparato tecnológico inteligente e eficaz é fundamental para os negócios que pretendem eliminar desperdícios e garantir alta performance contínua. Mas, para que isso seja possível, boas práticas devem ser aplicadas de modo abrangente.

Quer saber quais são? Então, continue a leitura deste post!

O que é uma infraestrutura de TI?

A infraestrutura de TI deve ser entendida como o conjunto de computadores, softwares, dispositivos de rede e demais aparelhos tecnológicos que uma empresa possui. Ou seja, ela se refere a todas as soluções de tecnologia que uma empresa tem, independentemente de elas serem utilizadas ou não.

Como uma política de gestão de TI é feita?

Uma infraestrutura de TI eficiente é aquela que tem o apoio de boas ferramentas de gestão. Afinal, a empresa deve garantir, por meio de uma política abrangente, que todos os equipamentos funcionem de modo contínuo e sempre com alta performance. Além disso, é fundamental ter meios para evitar riscos e problemas de segurança.

Nesse sentido, a política de gestão da infraestrutura de TI deve ser feita considerando uma série de fatores. Entre os principais, pode-se apontar:

  • o perfil de uso da infraestrutura;
  • os objetivos da empresa em médio e longo prazo;
  • o tipo de equipamento e sistema que estão integrados à infraestrutura;
  • quais problemas os usuários enfrentam ao utilizar a infraestrutura;
  • que níveis mínimos de performance são exigidos da infraestrutura.

Tais fatores, em conjunto, permitem que o gestor tenha uma visão completa sobre quais medidas devem ser aplicadas. Assim, será mais fácil escolher práticas robustas, capazes de auxiliar a infraestrutura a ter uma boa performance e, ao mesmo tempo, reduzir custos.

Dessa maneira, a empresa poderá entregar aos usuários um ambiente de TI mais dinâmico e alinhado com as demandas.

Quais são as boas práticas para a gestão da infraestrutura de TI?

Para realizar uma boa gestão de TI, a empresa pode lançar mão de múltiplas práticas. Veja a seguir quais são as mais tradicionais adotadas por empresas do mundo todo.

1. Monitoramento dos recursos

O monitoramento de recursos permite que a empresa identifique problemas rapidamente, conheça a origem deles sem grandes dificuldades e consiga solucioná-los da melhor forma possível. Ele também auxilia o gestor a otimizar a infraestrutura de TI de modo inteligente, afinal, existirão mais dados para avaliar a melhor estratégia a ser adotada.

Essa prática também ajuda o negócio a automatizar rotinas de manutenção de TI. Portanto, a empresa deve sempre investir em mecanismos para monitorar o seu ambiente digital de modo contínuo. Dessa maneira, será mais fácil garantir a performance dos dispositivos sempre.

2. Definição de processos de segurança de dados

Conforme a tecnologia é integrada ao ambiente de trabalho, a segurança digital deve ganhar destaque nos processos de gestão. A empresa deve garantir que os seus times terão meios para prevenir, identificar e mitigar qualquer tipo de brecha de segurança ou ameaça existente. Afinal de contas, ataques podem causar grandes impactos no fluxo de trabalho do negócio moderno.

O investimento em segurança digital também deve ser feito considerando boas práticas como:

  • senhas de segurança complexas;
  • monitoramento voltado para a identificação de vulnerabilidades e ameaças;
  • atualização de dispositivos e sistemas;
  • regras de controle de acesso;
  • treinamento de profissionais.

3. Gestão e controle do acesso a recursos de TI

O controle de acesso e a gestão dos recursos de TI é um processo básico para evitar ataques e vazamentos de dados, como apontamos. Ele deve ser feito de tal modo a limitar o acesso a recursos de TI ao mínimo possível para os profissionais terem acesso aos dados necessários para o trabalho.

Isso dá à empresa a capacidade de reduzir o impacto de ataques, além de ampliar a confiabilidade da infraestrutura.

4. Atualização contínua de sistemas

A atualização de sistemas tem duas vantagens que ajudam o negócio a ser mais eficiente. A primeira é a redução do número de falhas no código-fonte do software. Isso torna sistemas mais seguros e capazes de lidar com um alto nível de demanda, ou seja, a performance será melhorada.

A segunda vantagem está no acesso a novos recursos. A partir de updates, a empresa consegue ter acesso rápido a novas funcionalidades, o que auxilia o gestor a gerar competitividade no negócio. Portanto, sempre tenha rotinas estruturadas para tornar ágeis o teste, a validação e a instalação de novas versões dos seus sistemas.

5. Investimento na nuvem

A computação em nuvem traz um grande impacto para o ambiente de trabalho. Flexível e capaz de servir de apoio a várias soluções de TI, ela pode gerar benefícios como:

  • maior mobilidade;
  • mais flexibilidade operacional;
  • aumento do nível de escalabilidade da infraestrutura;
  • redução de custos operacionais;
  • acesso mais fácil a updates e recursos para garantir boa performance aos usuários.

6. Investimento no outsourcing

A terceirização de rotinas de manutenção e os serviços gerenciados de TI podem ter um impacto direto para empresas de todos os setores da economia. Essa solução permite que o negócio tenha acesso a um time preparado para lidar com as demandas internas.

Além disso, todas as ações serão projetadas considerando as melhores práticas do mercado de gestão, manutenção de ativos e suporte ao usuário. Em outras palavras, o outsourcing dá ao negócio a possibilidade de ter o apoio de uma equipe de TI especializada sob demanda para gerenciar a infraestrutura e oferecer soluções para problemas diários.

Isso tornará a infraestrutura de TI mais eficaz e, ao mesmo tempo, permitirá que a empresa aproveite a tecnologia sem perder o foco no core business. Dessa maneira, será mais fácil manter o negócio competitivo em médio e longo prazo.

A competitividade de uma empresa pode ser determinada por múltiplos fatores. Bom conhecimento do público-alvo e serviços alinhados às tendências do mercado são alguns deles. Nesse sentido, o uso de soluções de TI pode contribuir para o aprimoramento de todos eles.

A otimização da infraestrutura de TI é um trabalho que evita que os ativos tenham a sua vida útil reduzida. Ela também contribui para garantir uma boa performance contínua e, ao mesmo tempo, mitigar riscos operacionais. Dessa maneira, a empresa pode entregar melhores serviços para os seus clientes e parceiros comerciais.

Portanto, investir na melhoria da infraestrutura de TI é algo crítico para o sucesso do negócio. Com boas práticas, a empresa poderá colocar a tecnologia no centro das suas operações. Dessa maneira, será mais fácil gerar performance, inovação e flexibilidade de maneira contínua para todos os setores.

Gostou das nossas dicas? Então siga-nos nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn e no YouTube.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *