Powered by Rock Convert

As tecnologiasLow-Code e No-Code trouxeram impactos significativos no mundo dos negócios. O desenvolvimento de aplicações tornou-se acessível não somente aos programadores, mas também a pessoas que não atuam na parte de tecnologia. Com isso, as empresas passaram a se beneficiar, por exemplo, com a redução de custos com profissionais especializados e o tempo menor para uma aplicação ser desenvolvida.

Nos tópicos seguintes deste texto, faremos um comparativo entre as tecnologias Low-Code e No-Code. Pode não parecer em um primeiro momento, mas ambas têm diferenças sensíveis em alguns aspectos, o que requer o entendimento de qual é melhor para uma determinada aplicação. Ficou interessado no tema? Continue então a leitura até o final!

Como Low-Code e No-Code funcionam?

Antes de detalharmos o funcionamento de cada tecnologia, vale salientar que Low-Code e No-Code podem ser vistos como interfaces de desenvolvimento. No caso do primeiro, as aplicações são desenvolvidas por meio de blocos com codificação já pronta, exigindo, portanto, menos conhecimento em lógica de programação. Já em relação ao segundo, o desenvolvimento deaplicativos é feito sem que o profissional precise saber sobre codificação.

Os níveis de abstração do Low-Code e do No-Code são, portanto, maiores do que no desenvolvimento tradicional de software. Isso significa que quem for criar aplicativos por essas interfaces — mesmo que tenha pouco ou nenhum conhecimento de programação — não precisa se preocupar com alguns aspectos, já que outros programadores fizeram isso anteriormente. Por consequência, o foco em implementar as regras de negócio em uma aplicação passam a ser maiores.

Por que o Low-Code e o No-Code vieram para revolucionar?

Empresas estão sempre em busca de desenvolver soluções e vender a outras empresas ou usá-las internamente. Cada departamento tem demandas específicas, sendo que a automação de fluxos de trabalho, por exemplo, é uma das principais necessidades, visto que contribui para o aumento de produtividade da equipe.

Dito isso, o Low-Code e o No-Code trazem uma maior flexibilização no desenvolvimento de aplicações, uma vez que pessoas com pouco ou nenhum conhecimento em programação podem desenvolver aplicativos simples que ajudem nas rotinas do seu departamento. Antes do surgimento dessas tecnologias, as empresas ficavam altamente dependentes de desenvolvedores na hora de criar tanto soluções robustas relacionadas com a atividade-fim do negócio como pequenos aplicativos voltados às demandas específicas de um setor.

Quais as diferenças entre Low-Code e No-Code?

Agora que você entendeu o funcionamento do Low-Code e No-Code, e porque elas vieram para revolucionar o mercado, confira as subseções a seguir e veja o comparativo que fizemos para você acerca das duas tecnologias!

Autonomia

Tanto o Low-Code como o No-Code oferecem autonomia aos usuários, principalmente para que não dependam tanto daqueles desenvolvedores com mais experiência. Dependendo do nível de complexidade de um projeto, isso pode fazer toda a diferença, pois o tempo de desenvolvimento passa a ser menor. Essa maior democratização da tecnologia pode trazer muitos impactos positivos, como a maior integração entre a equipe de TI e demais setores da companhia.

Powered by Rock Convert

Integração

De nada adianta fazer uma aplicação em pouco tempo se ela apresenta incompatibilidade com outras plataformas e sistemas. Boas integrações são fundamentais para que o compartilhamento de dados entre os departamentos ocorra, de modo que os gestores tenham uma visão sistêmica do negócio e tenham condições de realizar ajustes, caso necessário. Portanto, nesse aspecto da integração, o Low-Code é mais vantajoso que o No-Code.

Personalização

A personalização de um aplicativo vai depender bastante das especificações eregras de negócio envolvidas. Nesse sentido, se o grau de complexidade for um pouco elevado, é preferível usar o Low-Code, uma vez que ele ainda permite um pouco de codificação, tornando o processo de desenvolvimento, portanto, um pouco menos engessado do que no No-Code.

Vale destacar que as personalizações possíveis de serem feitas no Low-Code podem envolver, por exemplo, processos de segurança e suporte para múltiplas plataformas. Ou seja, mesmo com pouca necessidade de codificação, é possível desenvolver aplicativos capazes de lidar com acessos indevidos, vulnerabilidades e ameaças de forma eficiente. Em relação ao suporte de múltiplas plataformas, representa um aplicativo que pode ter um funcionamento satisfatório em diferentes sistemas operacionais mobile e na versão web.

Rapidez e agilidade

Um dos fatores que contribui bastante na rapidez e agilidade do Low-Code e do No-Code é o uso demetodologias ágeis. Nessa abordagem gerencial, a empresa desenvolvedora pode não só entregar uma solução com maior rapidez, como realizar isso de forma contínua, captando o feedback dos clientes durante as fases do desenvolvimento.

Dito isso, o No-Code se torna um pouco melhor do que o Low-Code nesse aspecto, uma vez que o desenvolvimento não precisa de codificação. Os impactos dessa maior rapidez e agilidade são facilmente visíveis, como no aumento de produtividade da equipe de TI e dos demais colaboradores da empresa. Além disso, os testes e ajustes nos aplicativos também podem ser feitos com rapidez, bem como as aplicações podem ser facilmente implementadas nas rotinas dos negócios.

Usuário

A preferência pelo Low-Code ou No-Code vai depender do nível de programação dos usuários. Nesse sentido, vale salientar que, caso o profissional desenvolva uma aplicação sem nenhum conhecimento de codificação, é preciso que ele seja orientado pelo departamento de TI. O intuito disso é evitar problemas decompliance, por exemplo, que consistem no não cumprimento de algumas regras de governança corporativa. Não obstante, a solução pode ainda apresentar problemas de integração com outros sistemas, falhas de segurança, baixa usabilidade e consumo excessivo de recursos.

Já em relação ao Low-Code, essa preocupação com questões de compliance são um pouco menores. Isso porque, visto que o usuário tem pelo menos algum conhecimento de programação, ele terá um pouco mais de perícia na hora de lidar com questões de segurança, integração e usabilidade.

As tecnologias Low-Code e No-Code, como vimos, impactaram o mundo dos negócios. Para encontrar a solução ideal para o seu negócio, é fundamental contar com o suporte de uma empresa especializada e que tenha experiência de mercado. Nesse sentido, nós da Techne podemos trazer as melhorias que a sua empresa precisa, por meio do Cronapp, uma plataforma integrada de desenvolvimento e publicação de softwares na nuvem. Tanto aplicações mobile como web podem ser desenvolvidas, testadas e publicadas rapidamente nessa solução, gerando grandes impactos de produtividade dentro de uma organização.

Gostou do nosso conteúdo e quer saber mais sobre o Cronapp? Então entre em contato conosco agora mesmo e fale com um de nossos especialistas!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *