metodologias ágeisPowered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

O processo de desenvolvimento de softwares é uma prática que exige muita organização e planejamento. Se o objetivo é oferecer um produto de qualidade sem ter gastos exorbitantes em sua criação, é fundamental definir estratégias para otimizar o processo do início ao fim. Entretanto, na prática, isso pode ser um grande desafio no decorrer do projeto.

Durante a criação, tende-se a realizar adaptações não planejadas na concepção, como no Design Thinking, no intuito de atender a uma nova demanda do cliente. Apesar de ser necessário aplicar a modificação, o impacto gerado no projeto pode ser incalculável, tanto nos custos quanto nos prazos, na eficiência da equipe e, até mesmo, na qualidade final.

Cada código apresenta suas próprias características e precisa ser bem gerenciado. Ainda assim, existem formas de definir um caminho padronizado a ser seguido, evitando que os imprevistos atrasem a entrega ou prejudiquem a qualidade do produto final.

Pensando nisso, mostraremos neste post como estabelecer processos de desenvolvimento de software, bem como os benefícios dessa prática, que torna a equipe de TI mais produtiva. Confira!

O que são processos de desenvolvimento de software?

Primeiramente, os processos podem ser compreendidos como um conjunto de atividades organizadas com o objetivo de definir, desenvolver, testar e manter o software.

Portanto, não estamos falando apenas de certos procedimentos a serem realizados. Os processos devem ser entendidos como verdadeiras etapas do desenvolvimento de software — mantendo, inclusive, a importância da sua ordem de execução.

Por mais que a simples adoção de certas práticas possa otimizar o trabalho da sua equipe, é preciso ter uma noção clara de que algumas coisas podem ser realizadas em paralelo, enquanto outras não. É por isso que estabelecer processos envolve, também, definir quando e como eles serão executados, além de quem é o responsável por cada um.

Para ter uma visão mais objetiva de como isso ocorre — tanto a ordem de execução quanto a relação entre os processos —, é necessário seguir algumas práticas, que vamos explicar mais à frente.

Quais são os benefícios de estabelecer processos para sua equipe?

Em primeiro lugar, sua empresa garante a qualidade do software oferecido. É muito comum que desenvolvedores inexperientes prometam algo e não consigam cumprir, prejudicando a reputação da empresa e causando prejuízo financeiro. Os processos facilitam a gestão e o controle do desenvolvimento como um todo.

Sem uma padronização das atividades a serem realizadas, é difícil estabelecer uma linha de produção de softwares. Por mais que os produtos sejam diferentes entre si, é crucial que haja uma referência para nortear o trabalho dos desenvolvedores.

Consequentemente, o custo do projeto tende a ser menor, já que o uso de tempo e mão de obra é otimizado. Além de tornar o projeto mais rentável, a equipe de TI, que desenvolve o projeto, consegue estar mais disponível para execução estratégica das etapas, o que contribui para o sucesso do projeto.

Quais são os principais processos?

Tratar os processos como etapas não é a única coisa que você deve ter em mente ao estabelecê-los. Outro fator merece destaque: como os softwares apresentam peculiaridades e cada desenvolvedor ou empresa tem sua própria metodologia de trabalho, é preciso avaliar e adaptar os itens abaixo às suas necessidades específicas.

Assim, é importante não perder de vista que esses processos servem como um alicerce bastante sólido para suas atividades, mas também podem ser ajustados ao seu ambiente de desenvolvimento.

De maneira geral, os processos para desenvolver um software são definidos da seguinte forma. Veja!

Análise econômica

Nenhum produto ou serviço é oferecido por uma empresa sem que o lucro e o custo sejam calculados previamente. Por isso, a primeira etapa do desenvolvimento é analisar cuidadosamente cada atividade, do início ao fim, levantando seus gastos e verificando se o valor final do software é satisfatório.

Lembre-se de que isso envolve uma pesquisa de mercado, pois o produto não pode ser muito barato a ponto de não dar retorno — ainda que não possa ser tão caro a ponto de perder para a concorrência.

Uma maneira eficiente de fazer esse tipo de viabilização do projeto é utilizar indicadores financeiros que consigam mensurar o nível de retorno. Entre eles, está o ROI (Return on Investment), que, na tradução, significa Retorno Sobre o Investimento. Além de avaliar o valor que será retornado do que foi custeado, podemos compreender em qual tempo essa equiparação acontecerá. 

Análise de requisitos de software

Nenhum software pode ser desenvolvido sem que antes seus objetivos sejam estabelecidos em detalhes. Estamos falando da expectativa e das necessidades do cliente. Afinal, a qualidade real depende de atender a certas demandas, e isso só pode ser feito em parceria com quem pretende comprar o software.

Fazer o levantamento dos requisitos é um dos processos mais importantes do desenvolvimento, pois é isso que vai guiar o time em todas as outras etapas até a conclusão do projeto.

Especificações de usuário

Trata-se da “materialização” do que foi solicitado pelo cliente e a formalização de tudo o que foi requisitado. Grosso modo, é um estudo detalhado dos itens levantados na etapa anterior. Aqui, são construídos modelos representativos do software a ser desenvolvido.

Powered by Rock Convert

O mais importante é definir uma estratégia de solução de problemas, destacando o que deve ser feito. Com isso em mãos, fica mais fácil identificar como o software funcionará. O objetivo é evitar o erro muito comum de tentar solucionar um problema que, na verdade, não foi definido detalhadamente.

Como adiantamos anteriormente, é fundamental que esse processo seja mapeado com eficácia. Muito clientes finais presumem necessidades após a o esboço do projeto. Ao serem realizadas mudanças durante a execução, pode-se presumir que custos e prazos vão ser afetados como um todo, já que, na maioria das vezes, as atividades de desenvolvimento são escalonáveis. 

Arquitetura de software

Esse processo diz respeito ao alicerce do software, sobre o qual ele será construído. Na prática, é preciso definir seu funcionamento interno para que os requisitos do cliente sejam atendidos. Alguns aspectos são fundamentais e devem ser especificados nessa fase.

Entre eles, podemos destacar:

  • a arquitetura do sistema;
  • a linguagem de programação utilizada;
  • o Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD);
  • o design da interface gráfica.

Além disso, devem ser elaborados um projeto de alto nível, com a arquitetura, e um de baixo nível, mais detalhado.

Implementação

Trata-se da fase de desenvolvimento do código. Vale destacar que, a partir desse processo, algumas etapas podem trabalhar em paralelo, como veremos a seguir. Por isso, é fundamental investir em uma comunicação eficiente entre as equipes de desenvolvimento e de teste.

Testes

O primeiro objetivo da etapa de testes é executar a validação dos requisitos do cliente. Ou seja, é hora de verificar se as especificações atendem às demandas com eficiência. Devem ser testados tanto os requisitos funcionais (especificações já levantadas) quanto os não funcionais (tecnologia utilizada, performance etc.).

Para otimizar esse processo, é importante que os problemas ou bugs encontrados sejam rapidamente repassados ao time de desenvolvimento. Assim, as novas versões trarão correções com mais agilidade, evitando o atraso da entrega.

A utilização de ferramentas que permitem oferecer mais velocidade, além de conhecer previamente quais são os possíveis erros, diminui retrabalhos que possam acontecer futuramente. A metodologia Scrum, por exemplo, é uma solução de projetos que consegue produzir etapas em módulos e que possam ser testados antes mesmo da conclusão final do produto.

Documentação

Todo software concebido deve ser acompanhado de um documento que informa qual é seu objetivo, além de detalhar suas características. Na grande maioria das vezes, a priorização de códigos é executada em vez do registro.

É muito importante garantir que todas as etapas sejam registradas devidamente isso blinda a equipe se cada etapa tiver sido executada conforme governança do planejamento.

Suporte

Após a entrega do software, o cliente pode ter algumas solicitações de ajuste (change requests). Por isso, é fundamental contar com um processo de suporte para atender a essa demanda e garantir a qualidade do produto — e uma melhor experiência do usuário.

Comunicação

Ainda em relação à vivência do cliente sobre o atendimento prestado, está a comunicação. Ela deve ser clara e objetiva, garantindo que ele tenha acesso ao projeto e possa acompanhar as etapas de execução. Para isso, os canais devem ser registrados e de fácil acesso.

Além disso, não basta visualização do diálogo entre ambiente externo se, internamente, a comunicação é falha. Todos os envolvidos devem ser integrados para alinhamento de todas etapas, e isso precisa ser garantido pelo gestor do time. 

Manutenção

A manutenção representa um período de garantia do funcionamento do software, podendo ser dividida em dois níveis:

  • corretiva, na qual o prazo de entrega é mantido e as alterações são posteriores;
  • evolutiva, na qual o escopo inicial é alterado e, consequentemente, o prazo final pode ser afetado.

Vale destacar que a manutenção evolutiva pode gerar custos adicionais. Por isso, é fundamental desenvolver um trabalho cuidadoso nas primeiras etapas do desenvolvimento para que isso seja evitado — a não ser que seja uma solicitação do cliente e o valor seja compensado no preço final.

Segurança

A criação de um produto, na maioria das vezes, manipula os dados enviados pelo cliente e que fazem parte da sua base de informações. Um dos processos no desenvolvimento de softwares é a preocupação com a segurança dos mesmos.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) sinaliza que, na contratação de terceiros que, de alguma forma, utilizem dados sobre os quais não têm propriedade, é necessário se responsabilizar pela segurança, adotando todas medidas de precaução. Dessa maneira, é fundamental seguir todas as premissas de proteção,

Não base garantir apenas que um desses processos de desenvolvimento de softwares seja executado. Toda a construção deve ser garantida integralmente, afinal, é esse conjunto que definirá o sucesso do projeto, ou não. Em função disso, o gestor de projetos é a peça fundamental para esse acompanhamento, que visualiza cada um dos processos, bem como os executores de cada um.

Como acompanhamos ao longo do texto, a otimização de processos de desenvolvimento de softwares pode ser perfeita com simples ações. É importante implementar análise de sua estratégia e avaliar como desenvolver a rotina e aumentar a qualidade final do produto!

Gostou do conteúdo? Então, compartilhe este post nas redes sociais e mostre essas dicas a seus amigos e colegas de profissão!

TI estratégicaPowered by Rock Convert

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *