No cenário atual, cada vez mais as empresas devem se adaptar à transformação digital e, consequentemente, à necessidade de incorporar soluções tecnológicas que interajam de forma rápida com andamento das suas atividades.

Na mesma medida, o desenvolvimento de tais sistemas também exige respostas imediatas, a escolha de modelos práticos para a execução dos projetos, que inclusive viabilizem o teste dos seus resultados em poucos dias. Afinal, as demandas do mercado estão evoluindo constantemente — e sob essa perspectiva nasce o RAD. Porém, o que exatamente ele significa e como saber se essa ferramenta pode auxiliá-lo nessa missão?

Quer descobrir se essa forma de trabalho é adequada para o seu tipo de negócio? Então, confira no post a seguir de que maneira o RAD é capaz de impactar nos resultados desejados. Boa Leitura!

O que é o RAD?

O Rapid Application Development (RAD) ou Rápido Desenvolvimento de Aplicações, como pode ser traduzido para o português, é uma metodologia criada para a engenharia de softwares, que surgiu na década de 1980, pelos engenheiros Barry Boehm e James Martin.

A motivação desse novo conceito basicamente levou em consideração a falha lógica na abordagem dos projetos de engenharia tradicionais, em que os engenheiros, depois de começarem a construí-los, dificilmente poderiam mudar de ideia na metade do caminho.

Eles não têm a faculdade, por exemplo, de iniciar a construção de uma ponte e durante essa trajetória decidir que não é viável e deixá-la de lado, originando ali um outro tipo de construção.

E, nesse contexto, o mundo dos softwares era infinitamente variável: qualquer metodologia de desenvolvimento necessária para aproveitar esse fato é totalmente aplicável, pois a estrutura de engenharia de um software é transitória.

Isso significa que esses engenheiros podem mudar de direcionamento todos os dias. O RAD aproveita essa liberdade enfatizando a prototipagem rápida em relação ao planejamento dispendioso, ou seja, não é preciso chegar na versão final do seu produto para constatar que ele não foi bem-sucedido.

Como ele funciona?

A essência da RAD é a sua flexibilidade para se adaptar à mudança de visão do cliente ao longo do ciclo de desenvolvimento. Começa-se definindo um conjunto de requisitos para que os desenvolvedores tenham uma ideia do que o produto precisa alcançar.

Portanto, ele se distancia bastante das folhas de especificações detalhadas do passado — não há um engessamento ao que foi previamente delimitado. O processo RAD, via de regra, obedece 4 etapas de criação: planejamento de requisitos, design do usuário, construção rápida e implementação.

Quais as principais diferenças entre RAD e Agile?

Como mencionado, o rápido desenvolvimento de aplicações dá ênfase para a rápida prototipação em lugar de um planejamento mais caro, contrastando com o foco do Agile em tempo de produção.

Embora o RAD e o Agile enfatizem a entrega de software inicial e continuem acolhendo os requisitos em constante mudança, mesmo no desenvolvimento tardio, o Agile vai um pouco além — prescreve seus métodos, ambientes de trabalho e ideais.

Dessa forma, podemos concluir que a metodologia RAD é bem mais maleável, enfatiza os resultados de qualidade da maneira exata e no tempo em que são entregues, sem maiores regras.

Agile é um termo que a indústria de TI usa para descrever um método singular de gerenciamento de projetos. Seu objetivo é ajudar os times no fornecimento de respostas rápidas e imprevisíveis ao feedback que recebem, porém o seu desenvolvimento é um pouco mais longo.

Nesse sistema, são criadas oportunidades para avaliar a direção de um projeto durante o ciclo de criação. As equipes se reúnem com frequência para avaliar o projeto — as chamadas sprints ou iterações. E ele se baseia nos seguintes valores:

  • o foco é nas pessoas e respectivas interações, em vez de processos e ferramentas;
  • a colaboração com o cliente é mais valorizada do que os contratos em si;
  • o software de trabalho é mais importante que a documentação abrangente;
  • o processo não deve seguir estritamente um plano, mas sim responder às mudanças.

A cultura do Agile se diferencia de outras formas de trabalho, pois o seu foco é nas pessoas que estão atuando e o modo como elas trabalham juntas. O intuito é que as soluções evoluam por meio da colaboração entre equipes multifuncionais, utilizando para tanto as práticas apropriadas para seu contexto.

Quais as vantagens oferecidas pelo RAD?

Com o RAD as equipes têm espaço para maleabilidade, sendo também enfatizado o resultado de boa qualidade e não somente o tempo de produção. Além do mais, quando concebido um trabalho dentro de um prazo apertado, o uso do RAD consiste na escolha mais apropriada, pois você produzirá sob uma ótica que visa ações e resultados instantâneos.

Por meio dele é possível alcançar no mínimo a produção de partes funcionais de sistemas, boas o suficiente para o uso imediato e solucionando questões nas quais os clientes precisaram de um software ontem.

Outro benefício de usar o RAD é a relação próxima com os clientes que ele proporciona — o feedback do usuário é essencial para o seu pleno andamento, não se pode ignorar essa etapa no processo. O RAD depende das melhorias constantes sugeridas pelos usuários. Portanto, você precisa garantir que eles estarão disponíveis para colaborar com sua equipe de desenvolvimento durante todas as etapas do processo.

Se você precisar criar uma ferramenta interna de negócios ou um portal voltado para o cliente, como um aplicativo ou site, a RAD ajudará sua equipe a oferecer uma experiência ao usuário ainda melhor.

No que diz respeito a tarefas que não podem depender de protótipos, isto é, não podem falhar, uma abordagem RAD não seria interessante, tais como:

  • controles de voo;
  • firmware de implante coronário;
  • sistemas de finanças ou de contabilidade massivos.

Afinal, um erro mínimo, em um momento inapropriado, é capaz de gerar inúmeros danos e prejuízos.

Definidos os pontos-chave de ambos os modelos, podemos determinar quais projetos se beneficiam com o RAD, bem como as situações que valem a pena investir na metodologia Agile.

O RAD se transformou em um modelo padrão de abordagem para o desenvolvimento e execução de projetos de softwares, especialmente por permitir que as empresas acompanhem o ciclo de inovação e interrupção cada vez mais curto, além de ser financeiramente mais econômico.

Seu conceito é impulsionado por uma série de ferramentas que facilitam a rápida prototipagem, uma abordagem altamente interativa e funcionamento em plataformas de baixo código. Isso faz da metodologia RAD uma ferramenta vital na dinâmica das organizações modernas.

Gostou do artigo? Agora que você já sabe como a metodologia RAD contribui para a produtividade e qualidade dos seus projetos, aproveite para fazer o trial do Cronapp e comece ainda hoje a desenvolver soluções incríveis para o seu negócio!

Categorias: Techne

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *