Sistemas legados são aqueles que, por conta do tempo, começam a se tornar obsoletos dentro das rotinas em uma organização. Considere um software que foi feito há mais de uma década, por exemplo. Em virtude das muitas mudanças, boa parte delas propiciadas pela transformação digital, suas funcionalidades não mais se encaixam nas novas dinâmicas de trabalho em uma companhia.

Hoje, as organizações precisam de informações em tempo real, para que tomem decisões de forma rápida e acertada. Muitos desses sistemas, no entanto, foram concebidos em uma outra época, e existe até mesmo uma dificuldade em encontrar a documentação desse software, assim como o seu código-fonte, no intuito de fazer atualizações em suas funcionalidades.

Quer saber mais sobre os sistemas legados e como torná-los úteis nos dias de hoje? Continue a leitura deste artigo até o final!

Quais as características de um sistema legado?

Para uma companhia, é de grande importância que os colaboradores tenham um maior foco no core business, ou seja, nas tarefas mais estratégicas e lucrativas. Sistemas legados normalmente não oferecem essa possibilidade, de modo que as rotinas manuais e burocráticas continuam sendo feitas pelos colaboradores.

Em outras palavras, a ausência de automação torna o trabalho lento e suscetível a erros. Além da lentidão, existem outras características dos sistemas legados que você pode conferir nos subtópicos a seguir.

Software desatualizado

Quando um sistema deixa de passar por atualizações, ele fica suscetível não só a apresentar bugs, como também acaba exposto a ameaças virtuais, como vírus e malwares. Nesse sentido, vale lembrar que os cibercriminosos estão cada vez mais sofisticados no tocante à invasão de sistemas corporativos.

Tecnologia obsoleta

Para ser considerado legado, um software nem sempre precisa ser antigo. Pode acontecer também de um sistema novo ser obsoleto, por funcionar em cima de tecnologias já ultrapassadas. Dois bons exemplos disso são o Adobe Flash e o Silverlight da Microsoft.

Falta de mobilidade

Uma tendência dos dias atuais é um software ter o seu correspondente em dispositivos móveis. Pode acontecer, por exemplo, de um colaborador externo precisar acessar um relatório da empresa. Como o sistema está somente nos computadores, essa operação se tornará inviável.

Falta de colaboradores treinados

Pode acontecer também de poucos colaboradores saberem lidar com um sistema legado. Caso esse profissional se ausente ou até se desligue da organização, isso fará com que os demais tenham de aprender a manusear aquele sistema, o que vai demandar tempo e dinheiro.

Falta de escalabilidade

A escalabilidade é uma característica indispensável em um software. Sistemas legados, no entanto, não foram desenvolvidos sob essa perspectiva. Quanto mais uma empresa cresce e precisa aprimorar suas rotinas internas, seus sistemas devem prover esse suporte.

Falta de suporte

Com o tempo, pode acontecer de o fabricante não oferecer mais suporte a um sistema, por conta de fatores como falência ou aquisição por outra empresa. Um bom exemplo disso é o Windows XP, que recentemente deixou de ter suporte. Caso a empresa deseje utilizar as versões mais recentes dos programas da Microsoft, ela terá de atualizar o sistema operacional.

Powered by Rock Convert

Incompatibilidade com sistemas modernos

Para de fato beneficiar um negócio, o software deve ser facilmente integrável com outras ferramentas. Sistemas legados, portanto, são propensos a apresentarem problemas de compatibilidade. Isso pode prejudicar consideravelmente o negócio, no tocante, por exemplo, a uma estratégia de comunicação com o cliente, que busca cada vez mais agilidade e excelência no atendimento.

Software hospedado em servidores físicos

Os sistemas modernos dispensam uma infraestrutura de servidores físicos. Isso ocorre por causa da computação em nuvem. Se um software ainda roda com grande dependência dos dispositivos de hardware, grandes serão as chances de ele ser legado. Vale lembrar que o custo de manter um sistema na nuvem tende a ser consideravelmente menor do que a hospedagem em servidores físicos,

Por que um sistema legado precisa ser atualizado?

Empresas dos mais diversos segmentos precisam contar com sistemas que sejam robustos, automatizados e escaláveis para suprir bem todas as suas demandas. O volume de dados que as companhias devem processar a fim de obter vantagens e lucros é muito grande.

Para permanecerem competitivas, as empresas devem lançar mão de sistemas como ERP e CRM, além de ferramentas inteligentes de comunicação com os clientes. Um dos principais objetivos da atualização de softwares legados é justamente isso: torná-los compatíveis com as tecnologias citadas há pouco.

Como atualizar um sistema legado?

Uma atualização de um software legado passa necessariamente pelo processo de migração de dados. Uma companhia que deseja aprimorar os seus processos não deve fazer esse procedimento sem antes saber qual a sua real necessidade. Um bom planejamento, portanto, é essencial. Separamos para você, nas subseções a seguir, como fazer a migração de dados em um software legado. Confira!

Extração e transformação

O processo de extrair os dados em um sistema legado pode ser trabalhoso. Isso ocorre porque eles podem estar não só em diversos formatos, como também duplicados, incompletos e fragmentados. Após a extração, os dados são mapeados para que possam ser inseridos corretamente no sistema atualizado.

Limpeza e validação

O objetivo da limpeza é remover redundâncias e demais inconsistências presentes nos dados dos sistemas antigos. Depois disso, deve ser feito o processo de validação, que consiste na realização de testes contendo esses dados, no intuito de identificar previamente algum problema.

Também é importante frisar que todo o processo de migração do sistema legado deve ocorrer de forma gradual. Em outras palavras, é importante dividir o procedimento em atividades menores, de modo a garantir a entrega contínua de partes do software atualizado para os clientes.

Para isso, o serviço de uma empresa especializada é fundamental. Nós, do Cronapp, somos especialistas no desenvolvimento de softwares. Além disso, temos uma plataforma completa para desenvolver, testar e distribuir aplicativos na nuvem. Ressaltamos também que nossos softwares são construídos tanto para a web como para dispositivos móveis.

Os sistemas legados são aqueles que começam a ficar obsoletos com o passar do tempo, não mais sendo útil para as companhias acompanharem as mudanças da transformação digital. Nesse sentido, atualizar esses sistemas e integrá-los com as novas tecnologias é fundamental, no intuito de torná-los ferramentas que auxiliarão as organizações a realizarem atividades automatizadas e com possibilidade de escalar no futuro.

Gostou de saber o que são sistemas legados e por que é importante atualizá-los? Para mais informações sobre como o Cronapp pode ajudar você, entre em contato conosco!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *