TI estratégicaPowered by Rock Convert

Em um mundo conectado e cheio de opções automatizadas, é cada vez mais importante focar nos mínimos detalhes da prestação de serviços para gerar sentimentos memoráveis, cativar o público e manter uma relação contínua. Nos dias de hoje, isso se resume, basicamente, à satisfação do consumidor.

Nesse contexto, você já deve ter ouvido falar de experiência do usuário com aplicativo, mas sabe como realmente praticar a UX no desenvolvimento de soluções de app?

Diante da relevância do tema, elaboramos um post com 6 boas práticas que não podem faltar no seu planejamento de design para gerar a ferramenta perfeita! Continue a leitura e confira!

Afinal, o que é UX?

A sigla UX representa uma abreviação do termo user experience, que pode ser traduzido para o português como experiência do usuário. Trata-se de uma área responsável por aliar os avanços das tecnologias ao contato com os usuários de produtos ou serviços de determinada empresa.

O desenvolvimento de uma UX nada mais é do que a atividade de incrementar inúmeras vivências que temos no nosso dia a dia com todas as facilidades que os recursos inovadores são capazes de proporcionar e, assim, transformá-las em algo agradável.

Pode ser na realização de uma compra via aplicativo, no gerenciamento de uma conta por meio eletrônico, no supermercado, em lojas físicas, no suporte via telefone, enfim, cada oportunidade de gerar vivências positivas deve ser aproveitada para fazer a diferença na fidelização.

Uma vez que a automatização de processos é uma realidade que cresce a cada dia — e em qualquer tipo de empreendimento, independentemente do seu porte ou segmento de atuação —, entender o comportamento de quem vai interagir com essas ferramentas é indispensável para que tudo flua da maneira mais natural e bem-sucedida.

O objetivo principal da user experience é, portanto, garantir a excelência em todos os passos durante a jornada de compra do cliente. Dessa forma, parte desse trabalho depende bastante do planejamento de ações alinhadas às características do público-alvo.

De um modo geral, podemos afirmar que boas práticas de UX refletem diretamente na satisfação do consumidor e resultam em maior potencial competitivo para as empresas. Por esse motivo, essa estratégia não pode mais ser ignorada.

Quais as vantagens de garantir a experiência do usuário?

As vantagens de se investir na melhor experiência do usuário são bastante promissoras. Por isso, vale a pena conferir as principais delas.

Favorece a maturidade digital

Em plena era de transformação digital, as companhias que estão preparadas para aplicar novos conceitos e recursos tecnológicos da forma mais ampla possível ao seu negócio estão a um passo à frente dos seus adversários.

Isso, porque fazer com que as inovações trabalhem a seu favor não significa simplesmente investir em campanhas de marketing digital, ter uma presença online forte ou gerenciar um grande volume de dados com o Big Data.

Hoje, ser digital é uma habilidade que deve ser desenvolvida de maneira holística, sobretudo voltada para experiências mais interativas e relevantes para os clientes — a exemplo da experiência do usuário com aplicativo. É o que chamamos de maturidade digital.

Nesse sentido, a tecnologia deve funcionar não apenas como um veículo facilitador das atribuições do dia a dia da empresa, mas, principalmente, para que seus clientes usufruam dos melhores serviços.

Facilita o engajamento

Uma organização que tem consciência das possibilidades criadas a partir da sua digitalização abre um leque de oportunidades para explorar o que tem em mãos com eficiência e de forma bem alinhada ao perfil do seu público.

O conhecimento sobre quais canais os clientes mais interagem vai fortalecer as campanhas de marketing e as dinâmicas de atendimento, impactando, assim, o modo como as pessoas se conectam com os valores e a cultura da empresa — isto é, o tão almejado engajamento.

Contribui para experiências omnichannel

Uma das maiores dificuldades para companhias que estão implementando o conceito omnichannel é fazer com que canais de atendimento evoluam juntos do tempo de resposta e de níveis de qualidade do serviço.

Com isso, as empresas se veem obrigadas a colocar a perspectiva do cliente em primeiro plano. Portanto, garantir a experiência do usuário beneficia as suas operações em diferentes vias de contato, trabalhando melhor com a integração de tarefas.

Atualmente, a maioria das pessoas alinhadas com o mundo digital estão acostumadas, por exemplo, a utilizar vários canais ao mesmo tempo, inclusive de forma ininterrupta, ou seja, com acesso a funcionalidades que continuam ativas offline.

Então, quem deseja se destacar perante a concorrência deve projetar muito bem a estruturação do conceito omnichannel por toda a jornada de experiência dos seus clientes.

Quais as principais ferramentas tecnológicas usadas em UX? 

Para que o trabalho de UX atinja um bom desempenho, é necessário investir em diversas ferramentas. A seguir, vejamos algumas das mais relevantes:

Chatbots

Com a popularização da internet, os usuários estão a cada dia mais propensos a usar esse ambiente para realizar suas compras e entrar em contato com as empresas.  

Diante dessa tendência, a adoção dos chatbots vem sendo uma estratégia fortemente adotada para o desenvolvimento da performance de comunicação. E não é difícil entender os motivos:

  • eles trazem agilidade: o cliente consegue obter respostas a qualquer hora do dia e da noite, sem precisar instalar nenhuma aplicação adicional;
  • eles geram economia de custos: além de reduzir a contratação de recursos humanos, é um investimento mais barato e customizável;
  • eles são inteligentes: graças ao machine learning, quanto mais os robôs conversam com os consumidores, mais eles evoluem no nível de complexidade das respostas.

Big Data

Se conhecer bem o seu cliente é uma das armas mais poderosas que uma empresa pode ter no cenário atual, dificilmente ela conseguiria concluir essa tarefa sem o apoio de um software Big Data.

A UX é um processo que depende de informações seguras para ajudar o negócio a priorizar as características da sua rede de clientes e traduzi-las em estratégias para o alcance dos resultados desejados.

Powered by Rock Convert

E o papel da ferramenta em questão é justamente ajudar na identificação dos usuários-alvo: quem são eles, que tipo de dispositivos estão usando, em quais mídias eles estão presentes, entre outros; tudo isso com agilidade e precisão.

Realidade aumentada

A realidade aumentada é um fator-chave para uma UX de sucesso. A tecnologia, que é responsável por unir o mundo físico ao virtual, tem um amplo campo a ser explorado no sentido de criar experiências atrativas e enriquecedoras para a audiência de uma organização.

Já imaginou uma aplicação que sugira pontos de interesse, como restaurantes e lojas, baseando-se na localização do seu usuário? Pois bem, essa tecnologia está entre nós e apenas é possível graças à realidade aumentada.

Com essa ferramenta em mãos, as empresas podem abusar da criatividade e colocar em cena funcionalidades que fazem a diferença no dia a dia do público-alvo.

Qual a importância da boa experiência do usuário com aplicativo?

Nunca foi tão fácil criar um aplicativo e oferecê-lo como serviço para o público de uma empresa ou marca. Enquanto, por um lado, isso traz a possibilidade de até pequenas e médias empresas se consolidarem como soluções tecnológicas e disruptivas, por outro, a concorrência logo corre atrás para oferecer suas próprias opções similares à sua grande ideia — seja um software, um app ou um site.

Nesse cenário em que o usuário pode escolher entre dezenas ou centenas de apps capazes de realizar a mesma função, o que faz com que ele escolha o que você desenvolveu?

A chave do sucesso geralmente está na experiência do usuário, ou UX. Embora esteja mais atrelado ao design, o conceito é multidisciplinar e trata de muito mais do que um visual atraente ou informações bem hierarquizadas. A UX é uma consequência de um desenvolvimento com foco no sentimento de um usuário ao usar um aplicativo.

Esse lado emocional do uso de um app engloba principalmente três pontos: a facilidade de uso, a sensação de poder e a satisfação de conseguir realizar cada tarefa. Portanto, a experiência do usuário com o aplicativo deve ser o centro das atenções — além de um bom funcionamento e visual cativante, o desenvolvimento mobile precisa criar uma expectativa única para seu app e atendê-la com sucesso.

Quais são as dicas para qualificar e otimizar a UX em aplicativos?

Como você pôde ver, a experiência do usuário é um conceito bastante amplo, não havendo fórmula para garantir que um aplicativo será bem-sucedido. O processo, então, exige muito estudo, prática e testes para oferecer ao seu público uma solução incrível.

Não existem fórmulas, mas a UX é, sim, possível de ser dominada utilizando heurística e alguns blocos fundamentais que se aplicam a qualquer projeto de desenvolvimento, inclusive, mobile. Veja algumas das dicas que podem garantir um app mais atraente e satisfatório ao usuário!

1. Foque a experiência

Lembra, ali em cima, quando falamos sobre facilidade de uso, sensação de poder e satisfação? Uma experiência que una tais pontos é fruto de vários stakeholders: o cliente, que espera um resultado; o designer, que tem uma visão estética e funcional do app; e o usuário, que cria expectativas quanto ao uso do produto.

O papel do desenvolvedor de app mobile é unir todos esses elementos em um produto final polido e eficiente. A única forma de alcançar o sucesso é focar o equilíbrio entre possibilidade de aprendizagem (learnability), utilidade, usabilidade e apelo estético. Essa é a chave de uma boa UX.

2. Esteja atento ao usuário

É bem comum e até natural que desenvolvedores pensem na própria experiência com aquele tipo de serviço ao elaborar seus projetos, subestimando as diferenças entre seu modelo mental e o do usuário final.

Esse é um dos maiores erros que podem ser cometidos na entrega de aplicativos mobile. Como desenvolvedor, a sua bagagem nessa relação entre humano e tecnologia é, geralmente, um ponto fora da curva. Ou seja, você deve sempre lembrar que o app não é para você — o foco da experiência é sempre o público-alvo.

3. Guie o usuário sem ser óbvio

Essa é uma parte delicada de uma boa UX, mas que gera resultados incríveis quando o desenvolvedor acerta a mão. O design de interface (que diz respeito aos elementos visuais de interação entre humano e máquina) deve ser planejado para indicar constantemente onde o usuário está, mas sem ser óbvio ou impertinente a ponto de frustrá-lo.

Pessoas gostam de ser guiadas por um processo, mas não gostam de sentir que estão sendo levadas sem nenhuma liberdade para experimentar, navegar e escolher. Ofereça o mapa do caminho, mas permita que seu usuário o siga por conta própria.

4. Padronize a experiência

A melhor forma de guiar sem precisar apontar o caminho o tempo todo é padronizando a experiência. No caso de um app, isso significa ter coerência em cores e fontes e um menu sempre presente. O design precisa de consistência: é essencial a criação de padrões replicáveis em contextos semelhantes, para que uma pessoa faça inter-relações entre elementos de maneira intuitiva e consiga se guiar sem dificuldade.

Imagine, por exemplo, se cada modelo de carro tivesse uma cor de seta diferente. A luz piscando seria suficiente para que o motorista identificasse a intenção dos outros? Talvez, mas a junção de padrão de movimento e padrão de cor torna aquele sinal imediatamente reconhecível, quase como um instinto adquirido.

5. Não obrigue o usuário a decorar

Essa padronização é importante porque seu aplicativo não pode esperar que o usuário decore os passos necessários para realizar cada tarefa. É sua função ensinar a ele, por meio de elementos visuais, como encontrar a resposta que busca.

O grande benefício dessa preocupação para um app atraente é que o usuário se sente empoderado quando descobre seu caminho por conta própria, seja no primeiro uso ou para lembrar o que deve fazer depois de muito tempo. Padrões bem definidos e implementados agregam muito valor à UX.

6. Saiba lidar com a frustração do usuário

Mesmo que você e sua equipe desenvolvam o melhor aplicativo possível com a tecnologia que têm à mão, não se consegue criar uma experiência imune a erros. Nessas horas, o que destaca o seu app da concorrência é a forma como ele lida com um usuário frustrado.

Desde o desenvolvimento inicial, a interface precisa ser pensada para dar feedbacks claros e fáceis de serem entendidos. Quanto melhor for essa comunicação, mais fácil é reengajar uma pessoa no processo que ela estava seguindo. Caso contrário, ela está a apenas alguns toques de distância de instalar a próxima solução similar do mercado.

Qual a importância de uma plataforma para garantir uma boa UX?

Depois de tantas questões práticas que você precisa levar em conta para desenvolver um aplicativo, pode parecer complicado oferecer a melhor experiência para o seu usuário, mas saiba que é gratificante e muito lucrativo quando toda a equipe se prepara para experimentar, testar e validar o produto até encontrar o ponto perfeito para a entrega.

Isso fica muito mais fácil quando a empresa tem o apoio de uma plataforma para desenvolvimento de aplicativos. A estrutura para conseguir uma boa UX por meio de testes e pesquisas é complexa, e tirar esse peso da TI pode garantir o fôlego de que você precisa para resultados muito melhores.

Em um mercado com tantas opções, a experiência do usuário com aplicativo é fundamental para se estabelecer em posição de destaque, sendo necessário, para tanto, oferecer algo a mais que concorrência. É por isso que, neste momento, os grandes players estão investindo pesado no desenvolvimento mobile para atração, satisfação e fidelização do seu cliente, seja ele uma pessoa ou uma grande empresa.

Gostou do artigo? Então, para ficar por dentro das maiores tendências desse mercado, aproveite para assinar a nossa newsletter e receber outros materiais como este diretamente no seu e-mail!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *