metodologias ágeisPowered by Rock Convert

Você sabe o que é IDE? A criação de sistemas é uma ideia adotada por muitas empresas. Afinal, ela permite a negócios ter um sistema personalizado e adaptados às suas demandas.

Para quem faz softwares para terceiros, um bom IDE também é crucial. A empresa precisa garantir que seus clientes terão acesso rápido a sistemas e eventuais atualizações. Adotando essa ferramenta, a produtividade pode ser elevada, e a companhia conseguirá maximizar sua competitividade.

Quer saber mais sobre o que é IDE e como pode ser aplicado no seu ambiente de trabalho? Então, confira o post a seguir!

O que é IDE?

Conhecido como Ambiente de Desenvolvimento Integrado (ou Integrated Development Environment, no original em inglês), IDE é uma interface gráfica de software utilizada para desenvolver aplicações. Elimina a necessidade de programadores utilizarem uma linguagem de baixo nível e centraliza acesso a outros recursos.

Existem três funcionalidades principais para o IDE. Acompanhe!

Editor de código-fonte

O editor de código-fonte é uma funcionalidade básica de cada IDE. Consiste em uma ferramenta de texto que permite ao programador digitar todas as funcionalidades e regras do software apoiado em uma linguagem específica.

Compilador

O compilador é a funcionalidade responsável por converter o código-fonte que o programador criou em um executável, o qual utiliza uma linguagem de baixo nível que possa ser compreendida pelo dispositivo do usuário. Ele é, portanto, o recurso que permite que códigos-fonte digitados em diferentes linguagens sejam executados em uma mesma máquina.

Debugger

O debugger realiza o processo de depuração. Essa funcionalidade dá ao desenvolvedor a habilidade de modificar o código-fonte da aplicação enquanto ela é executada. Como consequência, ele consegue testar e corrigir erros facilmente.

Por que o IDE é importante?

O trabalho de criação de um sistema pode ser feito de várias maneiras. O IDE é uma que garante que o projeto de desenvolvimento ganhe mais produtividade e precisão. Afinal, várias funcionalidades não precisarão ser personalizadas a cada projeto.

Também há uma curva de aprendizado menor. O desenvolvedor que se especializa em um IDE pode utilizá-lo para vários softwares, ou seja, ele não precisa passar por um novo treinamento sempre que inicia um projeto de desenvolvimento.

Para empresas que criam aplicações personalizadas ou realizam novos projetos sempre, isso é algo crítico. O tempo gasto para iniciar o projeto será muito menor. Ao mesmo tempo, a companhia poderá ampliar sua equipe facilmente, afinal, os programadores poderão se adaptar ao IDE em algumas horas.

Em outras palavras, o maior benefício e motivo para investir em um IDE é a possibilidade de gastar menos tempo no seu dia a dia. Todas as funcionalidades dessa aplicação são feitas para tornar as rotinas de desenvolvimento mais ágeis. Assim, os profissionais podem direcionar mais tempo para entregar um conjunto de funcionalidades robusto e adequado às demandas externas.

Quais são os tipos de IDE?

Agora que você já sabe o que é um IDE, é importante conhecer os tipos existentes. Isso permitirá que sua empresa faça um investimento mais alinhado em uma solução que se adapte melhor ao seu perfil operacional. Os IDEs podem ser diferenciadas por vários fatores, entre os principais, podemos apontar os que seguem.

Powered by Rock Convert

Linguagens de programação utilizadas

Os IDEs se dividem entre aquelas que utilizam uma única linguagem e os que dão suporte a várias linguagens, por isso é importante avaliar qual melhor se adapta às demandas da sua empresa considerando esse fator.

Comparatibilidade com diferentes sistemas operacionais

Alguns IDEs são compatíveis somente com algumas plataformas de software ou permitem a criação de aplicativos voltados apenas para alguns ecossistemas.

Mecanismos de automação

Nem todo IDE permite que o processo de compilação e a execução do processo de debug sejam automatizados.

Plug-ins e extensões

Esses dois recursos aumentam as funcionalidades do IDE e melhoram a habilidade de desenvolvedores criarem soluções inovadoras.

Os IDEs também se dividem entre os ambientes em que eles são executados. Entre os principais, podemos apontar:

  • os IDEs locais, ou seja, que são executados em computadores de mesa;
  • os IDEs mobile, que facilitam a edição do código-fonte em smartphones e tablets;
  • os IDEs na nuvem, que podem ser acessados e modificados em qualquer aparelho.

Quais os ganhos ao se investir em um IDE na nuvem?

O IDE na nuvem tem se destacado nos últimos anos por ser uma ótima alternativa para quem pretende criar sistemas. Mais robustas do que outras opções, eles são acessíveis em vários aparelhos, escaláveis e flexíveis. Assim, o negócio pode incorporar os benefícios do cloud computing no seu cotidiano e garantir que os projetos de desenvolvimento atendam diferentes demandas.

Orçamento mais preciso

Em geral, os IDEs na nuvem são fornecidas pelo modelo de licenciamento SaaS (Software as a Service, ou Software como Serviço). Isso dá ao gestor uma grande flexibilidade orçamentária: os gastos ficarão mais precisos e alinhados com suas demandas.

Mais agilidade para criar um sistema

O prazo necessário para começar a criar um software será menor. Basta criar uma conta para iniciar a escrita do código-fonte. Afinal, por estar na nuvem, não há a necessidade de instalar programas localmente, apenas as extensões e os plug-ins de interesse do usuário.

Mais mobilidade

O IDE na nuvem permite a portabilidade de configurações para vários locais. Em outras palavras, o usuário terá o mesmo ambiente de desenvolvimento em diferentes dispositivos. Isso reduz prazos e amplia a mobilidade: em qualquer lugar do mundo, ele poderá continuar o seu trabalho diário.

Mais segurança

Quando o IDE está na nuvem, a empresa tem proteções de segurança e de privacidade adicionais. Os controles de segurança e gestão de dados ficam mais acessíveis. Além disso, a empresa consegue monitorar o uso do ambiente, evitando ataques e vazamentos.

Boas práticas na criação de sistemas devem ser adotadas sempre. Elas precisam ter os mecanismos necessários para reduzir custos, melhorar a flexibilidade da equipe e garantir bons resultados. Nesse contexto, saber o que é IDE e como ele pode ser implementado é algo crítico.

A escolha do IDE faz parte do dia a dia de quem lida com a criação de sistemas. Por isso, além de saber o que é IDE, o gestor precisa conhecer os tipos e como eles afetam sua rotina. Desse modo, ele pode fazer uma escolha mais certeira.

Gostou deste texto? Então, assine agora nossa newsletter para receber outras novidades do blog diretamente no seu e-mail!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *