Powered by Rock Convert

Para as empresas que buscam celeridade nos negócios, utilizar plataformas de desenvolvimento ágil pode ser uma boa alternativa. Entenda as vantagens e desvantagens do low-code na construção de soluções de TI.

Confira!

Desenvolvimento em blocos

Plataformas de desenvolvimento low-code são apontadas como ferramentas para ajudar empresas ágeis a acelerar a implantação de aplicativos para transformar rapidamente seus negócios.

Leia também: Desenvolvimento low-code: veja como aplicá-lo em seu negócio

Em teoria, qualquer pessoa pode criar um aplicativo usando os componentes básicos da plataforma e fornecendo instruções para o que deseja fazer, sem especificar exatamente como fazê-lo.

Por exemplo: ao usar o Excel, você não precisa saber como codificar para dizer ao aplicativo para adicionar, multiplicar, subtrair ou dividir valores. Você simplesmente clica na tecla de função para informar ao software o que deseja fazer. Você está dando instruções ao software sem precisar escrever nenhum código de programa.

Como vantagem, as plataformas de programação visual também possibilitam redução de custos às empresas, uma vez que não necessitam de operação estritamente técnica .

Leia também: Saiba como o desenvolvimento ágil de software pode ser útil para a sua empresa

Já a desvantagem é que podem representar riscos para os negócios, caso os especialistas e departamentos não estejam trabalhando em estreita colaboração com os desenvolvedores cidadãos emergentes.

Na construção de softwares, os especialistas em TI possuem um papel fundamental, visto que devem garantir que as soluções sejam criadas, documentadas e implementadas de maneira adequada e segura.

Vantagens e desvantagens do low-code

Vimos até aqui que a utilização de plataformas low-code pode ser vantajosa para a celeridade dos negócios, visto que elas ajudam a preencher a lacuna entre as necessidades de software e a carência de mão de obra especializada. E mais: a necessidade de se entregar soluções funcionais em um curtíssimo espaço de tempo.

Porém, é importante atentar-se a alguns pontos ao tomar a decisão de implementar uma ferramenta do tipo em sua instituição, como você verá mais adiante.

Leia também: IaaS, SaaS e PaaS: entenda a importância e as diferenças dos conceitos

Vantagens do low-code

Plataformas low-code são poderosas

O low-code é indicado para empresas que buscam agilidade e redução de custos para desenvolver softwares robustos. Na era da transformação digital para alavancar a inovação nos negócios, representa uma revolução para a TI ao permitir que os gestores e analistas de negócios foquem nos diferenciais que as soluções irão apresentar e utilizem módulos prontos para desenvolver o restante.

Isso é possível porque boa parte do processo de desenvolvimento é similar ao de outros sistemas desenvolvidos no passado. Portanto, o trabalho repetitivo dá espaço à criatividade com as plataformas low-code, que automatizam processos e focam na rapidez das entregas.

Leia também: Entenda como funciona o mercado low-code

Metodologias de desenvolvimento ágil

Para atender a um público que demanda mudanças constantes e atualizações entregues de modo contínuo, as metodologias de desenvolvimento ágil de software foram criadas.

Essa nova forma de criar aplicativos é pautada por times mais integrados e capazes de responder rapidamente a qualquer tipo de demanda. A criação de aplicativos passou a ser um processo flexível, com baixo nível de erros e mais inovação. E as plataformas low-code vão totalmente ao encontro do uso de frameworks que agilizam a gestão de projetos em TI.

Powered by Rock Convert

Facilidade de implementação

Como apresenta blocos de programação pré-configurados, o low-code permite que o setor de TI se aproveite ao máximo do seu potencial criativo para desenvolver produtos disruptivos.

Assim, ideias inovadoras têm maior potencial de serem transformadas em soluções funcionais com tempo de resposta e custo muito menores.

Integração entre os departamentos da empresa

Com a utilização de uma plataforma low-code, é possível estabelecer uma integração maior entre os departamentos de sua empresa. Sempre que sua organização identificar as demandas do mercado e estruturar os objetivos dos negócios no curto e longo prazos, o setor de TI terá mais liberdade para desenvolver soluções digitais inovadoras para alcançá-los.

Leia também: Como aprimorar o desenvolvimento com ferramentas visuais?

Possíveis desvantagens

Como dissemos, embora a plataforma low-code tenha uma interface amigável e a programação seja efetuada de forma relativamente fácil, é importante contar com o auxílio de um parceiro de desenvolvimento experiente. Dentre as possíveis desvantagens desta tecnologia para alguns tipos de configuração de negócio, estão as apresentadas a seguir.

Mudança no perfil profissional

Geralmente, para um desenvolvedor de software tradicional,  20% do seu conjunto de habilidades refere-se à análise de requisitos, além do entendimento das necessidades de funcionalidade dos negócios, e 80% ao entendimento de ferramentas e tecnologia.

Porém, no caso da utilização de plataformas low-code, 80% do conjunto de habilidades do especialista devem ser voltados à capacidade de trabalhar diretamente com clientes e usuários finais, conduzindo-os através de um processo de articulação e compreensão de seus requisitos e 20% a conhecimentos sobre lógica de programação.

Com estes dados, queremos dizer que, ao implementar uma plataforma low-code, é preciso a garantia de que os envolvidos possuem as habilidades e conhecimentos mais adequados.

Aprisionamento tecnológico (por alguns fornecedores)

O aprisionamento tecnológico ao fornecedor da plataforma low-code pode ser um problema ao se contratar algumas ferramentas.

Contudo, há plataformas, como o Cronapp, que não têm lock-in. Ou seja, os softwares criados podem ser portados para qualquer ambiente de desenvolvimento e não ficam presos a uma tecnologia proprietária.

Precisão dos dados

É preciso atentar-se à seleção e à filtragem das informações corretas. Caso os filtros adequados não sejam aplicados ao se usar a plataforma, a análise de dados será falha.

Entenda a estrutura de TI bimodal

TI bimodal é uma estratégia que ajuda a categorizar as aplicações com base em seu valor para os negócios, determinando os recursos (ou modos) certos para o desenvolvimento e acelerando projetos estratégicos de inovação nos negócios.

De acordo com a Gartner Research, esta estratégia exige duas faixas paralelas que suportam o desenvolvimento rápido de aplicativos voltados a prioridades de inovação digital, juntamente com os projetos existentes de manutenção de aplicativos e estabilização operacional.

A estrutura bimodal possui características voltadas aos dois modos, as quais veremos a seguir:

  • Modo 1: as características deste modo são direcionadas ao desenvolvimento de projetos relacionados à manutenção, estabilidade ou eficiência do sistema principal. Isso requer programadores altamente especializados e ciclos tradicionais de desenvolvimento mais lento. Aqui, há pouca necessidade de envolvimento comercial.
  • Modo 2: é voltado ao desenvolvimento de projetos que ajudam a inovar ou diferenciar os negócios. Este modo exige um alto grau de envolvimento comercial, rapidez na entrega e atualizações frequentes. Há a necessidade de uma “via rápida de TI” para transformar ideias de negócios em aplicativos.

Separando-se em dois modos, as equipes de TI tem a garantia de que possuem as pessoas, os processos e tecnologia corretos para o apoio às iniciativas dos negócios sem afetar os projetos de manutenção de longo prazo.

Podemos citar três componentes principais da plataforma low-code que contribuem para o sucesso da estratégia de TI bimodal:

  • Suporte em todo o ciclo de vida do aplicativo – permitindo velocidade e agilidade em todo o design, criação, implantação, iteração e gerenciamento dos estágios do ciclo;
  • Abstração do código – permitindo que uma variedade maior de usuários com experiência no domínio participe do processo de desenvolvimento, aumentando a população de desenvolvedores e a produtividade geral.
  • Ferramentas de colaboração – que permitem um melhor gerenciamento de projetos e ciclos de feedback, de forma que você ofereça soluções da mais alta qualidade.

Bem, neste artigo você pôde entender um pouco mais sobre as vantagens e desvantagens do low-code, conferir algumas dicas que auxiliam a decisão da escolha acerca do desenvolvimento ou compra de uma solução pronta, além de entender como funciona a estrutura de TI bimodal no desenvolvimento ágil.

Esperamos que o conteúdo tenha sido útil para você.

Até a próxima!

tendendias desenvolvimento softwarePowered by Rock Convert

Avatar

Anne Coifman

Eu sou Jornalista de formação e atuo com Marketing Digital, focada em produção de conteúdo. Apaixonada por leitura, a curiosidade faz parte do meu DNA e a sede por aprendizado constante corre em minhas veias! A área de TI é ampla, possui conteúdos dinâmicos e impactantes que me atraem a cada momento, despertando o interesse em compartilhar as novidades. Espero que gostem dos conteúdos que preparamos para vocês!

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *