A transformação digital vem crescendo a cada dia que passa e, sendo assim, é comum ficar em dúvida sobre comprar ou desenvolver software.

Neste post, iremos explicar e fornecer algumas dicas com pontos-chave que ajudarão você a fazer a escolha mais apropriada para o seu negócio, além de explicarmos as vantagens que podem ser obtidas ao se utilizar plataformas low-code no desenvolvimento interno de um projeto de TI.

Continue a leitura!

Comprar ou desenvolver software? Entenda o que é o low-code!

A transformação digital em ritmo acelerado, através de tecnologias de fusão e práticas inovadoras, pressiona as organizações no tocante ao foco do orçamento, tempo e recursos, voltados ao crescimento e maturidade de um produto final.

Com isso, queremos dizer que é preciso um desenvolvimento ágil, quando se opta por criar softwares internamente, para o devido acompanhamento das tendências tecnológicas. As plataformas low-code entram em cena quando o assunto é a economia de recursos financeiros e a redução considerável no tempo de entrega do produto final, sem a perda da qualidade.

O low-code é apontado como um framework de desenvolvimento ágil que ajuda empresas a acelerarem a implantação de aplicativos para transformar rapidamente seus negócios.

Esta tecnologia utiliza interfaces e configurações gráficas do usuário para definir e criar bancos de dados, lógicas de negócios, fluxos e formulários de processos e outros artefatos de aplicativos com o mínimo de codificação manual.

De acordo com a Forrester, empresa norte-americana de consultoria em tecnologia da informação, essas ferramentas são definidas como produtos e/ou serviços em nuvem para desenvolvimento de aplicativos que empregam técnicas visuais e declarativas, em vez de programação.

Ou seja, para que a plataforma low-code seja utilizada, o usuário não precisa ter conhecimentos técnicos de programação.

Dentre as várias características da plataforma low-code, podemos destacar:

  • Desenvolvimento visual;
  • Suporte ao ciclo de vida do aplicativo (SLDC);
  • Implantação nativa na nuvem;
  • Desenvolvimento ágil;
  • Economia de recursos financeiros.

Leia também: Saiba como o desenvolvimento ágil de software pode ser útil para a empresa

Rapid Application Development – RAD

Em sua tradução para a língua portuguesa, a sigla RAD significa Desenvolvimento Rápido de Aplicação e diz respeito a uma estratégia de engenharia e sistemas criada nos anos 1980, pelos programadores James Martin e Barry Boehm.

Como apontamos anteriormente, um dos grandes desafios enfrentados pelas organizações refere-se à adaptação e acompanhamento das constantes mudanças no setor de tecnologia.

As ferramentas RAD têm como mote a flexibilização. Ou seja, a capacidade de adaptação às mudanças exigidas pelo usuário durante o ciclo de desenvolvimento de um software.

É importante lembrar que o processo RAD segue 4 fases iterativas e incrementais, as quais veremos a seguir:

  • Planejamento dos requisitos;
  • Design;
  • Construção Rápida;
  • Implementação.

O objetivo do RAD é proporcionar uma visão geral do software sem desconsiderar a possibilidade de eventuais mudanças ou ajustes no decorrer do projeto.

Para saber mais sobre este processo, confira o artigo completo que preparamos sobre o tema!

Afinal, devo comprar ou desenvolver software?

Chegou o momento de sanar uma grande dúvida existente entre os gestores e profissionais da área de TI. Devo comprar ou desenvolver um software partindo do zero?

Powered by Rock Convert

Bem, abordaremos aqui alguns fatores-chave que são importantes e merecem atenção na hora de decidir. O primeiro passo é analisar se o departamento de TI da sua organização possui alguns dos requisitos a seguir:

  • Habilidades e recursos de desenvolvimento disponíveis;
  • Possibilidade de verificação das qualidades do sistema que são suportadas ou não por um fornecedor parceiro (segurança, SLAs, capacidade de manutenção, disponibilidade, extensibilidade etc.), para garantir a melhor experiência do usuário final;
  • Compreensão acerca da complexidade dos processos de negócio e necessidades do usuário final suportadas pelas aplicações que serão criadas.

Um estudo de mercado e a análise das possibilidades de investimento atual, assim como de fornecedores parceiros, também devem ser realizados no processo de tomada de decisão.

Você viu que a escolha entre comprar ou desenvolver software não é tão simples e que vários aspectos devem ser avaliados.

Porém, com a utilização de uma ferramenta low-code, como o Cronapp, o desenvolvimento da aplicação é feito com agilidade, eficiência e qualidade. E mais: economia.

 A economia de recursos financeiros aliada à possibilidade de incrementação e personalização do produto sugere que a utilização de uma plataforma low-code para a construção de um software ou app é mais vantajosa do que comprar uma aplicação pronta.

Mas, caso o perfil do seu negócio não esteja enquadrado no desenvolvimento interno de aplicações, aqui vai a boa notícia: existem as fábricas de software.

Leia também: 5 motivos para você contratar uma fábrica de software

A fábrica de softwares do Cronapp, por exemplo, desenvolve em tempo hábil softwares e aplicativos sob medida para empresas de diferentes perfis.

Dentre as vantagens de recorrer ao serviço, podemos destacar:

  • Entrega garantida em menor prazo;
  • Melhores soluções de arquitetura e tecnologia;
  • Software bem documento e apoio de especialistas para os cuidados da evolução e manutenção do sistema.

Low-code: Incorpore recursos avançados em seus produtos

Como vimos, o low-code possibilita um desenvolvimento ágil e repleto de opções de customização. A gestão de projetos de TI é pautada pelo gerenciamento e planejamento do trabalho através de visualizações de calendários, linha do tempo e aplicação de metodologias ágeis.

Também é possível gerenciar os acessos de usuários de aplicativos, utilizar recursos de importação e conversão de aplicativos herdados ou criados usando outras ferramentas de desenvolvimento na plataforma low-code.

Que tal visualizar jornadas de clientes e processos de negócios? É possível sim, através  de fluxos de processos gráficos.

Leia também: Desenvolvimento low-code: veja como aplicá-lo em seu negócio

Empregue metodologias ágeis

Utilizar metodologias ágeis aliadas a plataformas de desenvolvimento low-code também traz vantagens relacionadas ao mercado, à própria aplicação que está sendo desenvolvida e à acomodação das alterações em banco de dados, como veremos a seguir:

  • Mercado Abrangente: integrações e plug-ins prontos para uso, com serviços e aplicativos populares de terceiros (CRM, ERP, ferramentas de gerenciamento de ciclo de vida de aplicativos, ferramentas de colaboração, entre outros). É possível permitir que os usuários integrem suas ferramentas low-code utilizando APIs, SOAP ou REST;
  • Audite e rastreie as alterações do aplicativo e crie uma versão de backup do arquivo;
  • Analise automaticamente todos os modelos de dados e refatore as dependências para acomodar alterações no banco de dados.

Leia também: 6 motivos para sua empresa adotar uma estrutura low-code

As plataformas low-code oferecem uma maneira rápida de desenvolver e implantar aplicativos sem os custos indiretos da aquisição de extensas ferramentas e habilidades de desenvolvimento. Contudo, elas não substituem a importância das boas práticas de desenvolvimento.

Neste artigo você conheceu o processo de desenvolvimento ágil através de plataformas low-code e conferiu dicas para levar em consideração na hora de decidir se deve comprar ou desenvolver software .



metodologias ágeisPowered by Rock Convert

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *